terça-feira, 19 de julho de 2011

A Crise da Verdade: Por que é difícil deixar o homossexualismo? Será que tem cura?

Neste artigo Bob Ragan apresenta algumas das razões, e como superá-las.

Vários eventos levaram-me a compartilhar os motivos pelos quais creio que certas pessoas parecem não receber ajuda de ministérios de apoio àqueles que enfrentam luta contra o homossexualismo. O fato de maior motivação para este trabalho foi a leitura do livro de Jeffrey Satinover, O Homossexualismo e a Política da Verdade. Eu fortemente recomendo este livro, pois oferece uma importante discussão e dados que o mundo secular evita, seja de propósito ou por ignorância sobre o assunto.

No capítulo 13, o qual é entitulado: Tratamentos Cristãos, o Dr. Satinover afirma que “sempre haverão pessoas que procurarão mudança para suas vidas, porém sem sucesso, mesmo após muitos anos de esforços. Até mesmo de forma compreensível a nós, alguns destes indivíduos adotam uma postura ativista gay bastante visível, e tornam-se hostis em relação aos ministérios que abandonaram, pois acreditam que os mesmos os tenham enganado ou iludido.” Tenho conhecido alguns que não foram capazes de lidar com o processo de saída do homossexualismo e voltaram a envolver-se no velho estilo de vida. No entanto, entendo como eles se sentem, pois sei quão longo e penoso tal caminho pode ser.

Todavia, tenho dificuldade em sentir simpatia por aqueles que tornam-se ruidosamente militantes contra ministérios de apoio aos que lutam contra o homossexualismo, após terem feito parte de tais ministérios. O fato é que a afirmação de que a mudança desejada não aconteceu em suas vidas pode ser resultado de suas próprias escolhas. Além disso, a afirmação de que tais ministérios não funcionam em geral não leva em consideração os muitos homens e mulheres que prosseguiram e venceram seus desafios, tendo-se tornado capazes de experimentar segurança em sua identidade heterossexual. Parece-me que para justificar sua escolha, aqueles que deixaram os ministérios de ajuda e tornaram-se militantes necessitam desacreditar os outros que persistiram na jornada.

Os conceitos abaixo fazem parte do que tenho experimentado e observado em outros durante os últimos nove anos. Procurei focalizar a atenção naquilo que creio constituir as razões básicas pelas quais os ministérios de ajuda parecem não poder ajudar alguns homens e mulheres. Não tenho a intenção de jogar vergonha ou condenação sobre aqueles que abandonaram os ministérios de ajuda; pelo contrário, desejo compartilhar o que creio tratar-se de algumas condições fundamentais para todo aquele que está passando pelo processo de mudança.
A Modificação do comportamento é apenas uma pré-condição para a mudança.
O tratamento de áreas de domínio de nossas vidas exige o reconhecimento de que não posso superá-las por mim mesmo. Em geral os israelitas respondiam a Deus com um sonoro “Sim, faremos isto!” No entanto, geralmente eles voltavam às suas velhas práticas pecaminosas. Muitas pessoas procuram nossos ministérios ao perceberem que não poderão encontrar vitória em sua luta isoladamente. No entanto, chegar a tal percepção nem sempre significa que chegaram ao fim de sua auto-suficiência. Em geral tentamos inicialmente mudar a partir de nossos próprios recursos; no entanto, somente o Senhor pode produzir mudança verdadeira, a qual exige nossa entrega e obediência a Ele.

A integridade sexual não pode ser obtida sem o poder de Jesus. Muitos tentam mudar através de atitudes legalistas, modificando os padrões carnais externos. No final da carta aos Colossenses Paulo pergunta por que é que nos colocamos novamente sob a lei de “não fazer isto ou aquilo” tendo já morrido com Cristo! O fato é que a modificação de comportamento pela lei não apresenta qualquer valor no sentido de controlar as indulgências da sensualidade (Colossenses 2:23). Alguns precisam o estabelecimento inicial de alguns limites com relação a comportamentos que viciam; porém, a decisão de mudar meu comportamento é apenas o início de tal processo, e não o alvo principal, ou o final da jornada!

Por outro lado, mudança duradoura tem a ver com a disposição do coração e da mente, e não apenas com a modificação do comportamento. Tal mudança (isto é, o não envolvimento em comportamentos que viciam) é apenas uma pré-condição para uma verdadeira mudança. Caso eu utilize comportamento como indicador de vitória, estarei perdendo o verdadeiro foco da questão (veja Colossenses 3:1-2) e estarei caminhando em direção ao fracasso. Caso faça isto, tal mudança estará dependendo de meu desempenho, o qual é dirigido pela carne, e não pelo coração. Nosso processo de mudança geralmente fica mais difícil quando nossos comportamentos pecaminosos começam a ser abandonados. Isto porque à medida em que deixamos de tentar escapar ou fugir de nossas dores emocionais através de nossos vícios, passamos a vivenciar nosso conflito com intensidade ainda maior. Portanto, neste estágio de nossa luta, somos confrontados com duas opções: retornamos aos nossos velhos mecanismos de fuga ou inventamos novos mecanismos, ou encaramos nosso conflito plenamente. Caso escolhamos a última opção, que sem dúvida é a mais difícil, começamos a experimentar a realidade do processo e mudança permanente.

Alguns podem achar que os ministérios de ajuda não funcionaram para eles por fundamentarem sua mudança somente na modificação de seu comportamento ou desempenho. Assim que conflitos mais profundos vêm à tona, exigindo perseverança de sua parte neste momento do processo, tais pessoas não entendem que é necessário que se entreguem ao Senhorio de Jesus Cristo, e que dependam apenas de Sua força e compreensão. Do contrário, tais pessoas passaram a confiar em sua auto-suficiência e portanto não conseguem prosseguir na longa jornada que faz parte da mudança.
A verdadeira mudança exige uma recuperação de longo prazo – toda a vida!
Eu creio que empregamos mal a palavra “cura”. Considere o seguinte: ser curado de um pequeno corte no dedo causado por um pedaço de papel é bem diferente de ser curado de um acidente de automóvel. Podemos experimentar cura emocional semelhante à cura de um pequeno corte no dedo, ou seja, um processo relativamente rápido. No entanto, também podemos experimentar a cura emocional como um processo de recuperação semelhante ao que ocorre após um grave trauma físico, como um acidente automobilístico ou algo parecido. Eu procuro limitar o uso da palavra “cura”, pois muitos comparam o processo de mudança como uma recuperação de um pequeno corte no dedo, e não de um trauma severo. Geralmente pequenos cortes sequer deixam cicatrizes, ao contrário dos grandes traumas. Este é o caso de nossa luta com a homossexualidade. Muitos indivíduos desejam que seu processo de mudança esteja de acordo com suas expectativas quanto a tempo e definição. Estas pessoas transformaram tal “cura” em seu alvo, e não o fato de estarem submissos a Jesus Cristo. Em geral estas pessoas medem seu grau de mudança pelos tipos de tentações que ainda enfrentam e/ou a presença ou não de atração pelo sexo oposto. De certa forma se esquecem de que enfrentar tentação é algo que todos enfrentaremos até o final de nossas vidas! Eu somente comecei a sentir atração (observe que não estou me referindo a lascívia sexual ao mencionar isto) em relação a mulheres após muitos anos; somente depois que Deus tratou de várias outras questões relacionadas a esta em minha vida.

Caso eu tivesse escolhido utilizar atração por mulheres e a falta de tentações como medidas de mudança, eu teria deixado o ministério muitos anos atrás. Ao invés disso, confiei em Deus no sentido de tratar meu processo de mudança como Ele sabe que deve ser tratado. Meu enfoque está em meu relacionamento com Ele, e não nas circunstâncias temporais do presente. Minha motivação provem do desejo de amor, e não do desejo de provar! Deus tem produzido mudança em minha vida de acordo com o Seu tempo, e não o meu. Esta mudança tem ocorrido com resultado de perseverança e confiança.
O Comportamento Homossexual não é mais uma opção aceitável.
Para muitos que estão lutando com esta questão, a opção em relação à homossexualidade ainda não foi resolvida. Há uma porta que ainda está aberta, em que o comportamento homossexual ainda é visto como algo que não é totalmente errado, ou ainda existe a ilusão de que há um príncipe ou princesa encantada esperando por mim em algum lugar. O coração destas pessoas ainda não tomou a decisão de que seguirá a Jesus, não importa o que venha a acontecer. Largo é o caminho que leva à destruição; enquanto eu considerar o comportamento homossexual como uma opção viável, não terei verdadeiramente abraçado o processo de mudança.

É importante ressaltar que experimentaremos incertezas e dúvidas durante o processo de saída da homossexualidade. À medida em que nossos conflitos ficarem mais intensos, maior será a pressão para que busquemos conforto nos velhos hábitos e mecanismos de escape, como forma de enfrentar a dor do conflito. Inclusive não é incomum que aqueles que estão lutando enfrentem períodos de comportamento pecaminoso à medida em que se aprofundam no tratamento de suas feridas emocionais. Apesar do fato de que alguns escolhem atividades homossexuais como forma de fuga da dor emocional, a esperança de mudança ainda está presente. Sei que posso caminhar em Sua misericórdia e graça, mesmo caso eu tenha um envolvimento sexual.

Na minha própria experiência, percebi que tinha que entregar a Deus meu “direito de ser puro.” Isto pode parecer estranho, mas enquanto eu procurasse atingir pureza (ou seja, ficar contando os dias e horas desde meu último envolvimento), eu não estava descansando na verdade de que Ele somente é a minha pureza. Eu sei que sou capaz de retornar a velhos hábitos nesta caminhada. Por outro lado, também sei que a minha pureza pessoal é resultado da minha identificação com Cristo, e não do meu desempenho!
No entanto, tenho que crer e tomar a decisão de que é verdade que a prática da homossexualidade é algo que Deus não aceita sob nenhuma circunstância. Trata-se de pecado. Qualquer forma de envolvimento sexual não é mais uma opção para mim. Como adulto, sou responsável por minhas escolhas; e a autoridade da Palavra de Deus estabelece que comportamento homossexual não é aceitável a Ele.
Todos nós enfrentamos os mesmos conflitos.
Minha luta não é diferente da luta de outras pessoas. Todos nós lutamos com algum tipo de pecado, e as raízes das nossas lutas são as mesmas. A manifestação exterior de nossa pecaminosidade pode ser diferente, porém interiormente todos carecemos igualmente da graça de Deus. Caso persista em enfocar apenas meu comportamento, é justamente ali onde permanecerei – na superfície, o que não resulta em mudança permanente. Temos que identificar as áreas mais profundas que nos estão destruindo e nos mantendo prisioneiros.

Sim, ministérios de ajuda podem não ajudar muito certas pessoas. Há aqueles que deixarão o processo, recusando-se a encarar as raízes profundas de seus conflitos, ou que estarão dispostos a comprometer a verdade. Estamos vivendo em um momento quando as pessoas estão em busca de gratificação e mudança instantâneas. No entanto, há um preço para se experimentar mudança, e este preço envolve seguir a Jesus, e morrer para tudo aquilo que não procede dEle. A morte não é uma experiência agradável! No entanto, embora meus sentimentos fiquem abalados em certas circunstâncias, sei que Deus continua constantemente presente em minha vida. Escolho não viver por meus sentimentos, mas sim depender de Sua misericórdia e graça. Eu escolho enfrentar minhas lutas aos pés da Sua cruz, em submissão e obediência. É aqui que ocorre a mudança verdadeira e duradoura.

Quero concluir com estas duas perguntas:
1) Você já decidiu seguir a Jesus, não importa qual seja o preço?
2) Você já fechou a porta para a opção do homossexualismo? Creio que estas são duas áreas cruciais que devem ser encaradas, as quais são fundamentais para o processo de saída do homossexualismo.

(Traduzido por Willy Torresin de Oliveira)

11 comentários:

Anônimo disse...

PARTE 1 DE 3

Depois de ler este texto, parei para analisar minha vida nos anos de vida homossexual. E aí me perguntei: "onde estava o meu verdadeiro eu?", "o que foi que eu fiz da minha vida?", "como eu posso mudar?". Concordo se alguém disser que neste texto aí de cima não existam respostas, mas a leitura destes textos está clareando cada vez mais pra mim e tenho certeza que para cada um de vocês, pouco a pouco tudo vai ficando mais claro também. A obviedade de tudo vai transparecendo. Mais cedo me perguntei o seguinte: "será que estou mesmo querendo deixar de ser homossexual? como faço para entender que eu realmente estou querendo deixar de ser homossexual?". E aí paro e penso que no momento em que resolvi por minha própria vontade ir até o Google e procurar por ajuda, foi o momento que Deus me chamou a mudar de vida. Foi justamente quando eu digitei no Google "não quero ser gay" e, por coincidência, ou até mesmo por vontade de Deus, havia esse blog sério que eu comecei a refletir sobre a questão que já me incomodava. E é bem claro. Se alguém digita "não quero ser gay" no Google ou então vai em busca de apoio, alguma vontadezinha que seja existe de deixar a vida homossexual.

Sobre o blog, vi que ele não traz a resposta para minhas perguntas, não trás a resposta para as perguntas de ninguém. Mas na realidade esse blog faz melhor, ele traz o apoio de que tanto eu precisava. Como estamos numa situação de querer deixar a homossexualidade, nessa situação, o objetivo final é deixar de ser homossexual. Atingir esse objetivo pode ser difícil mas o que ocorre neste blog, e ocorre muito bem por sinal, é o apoio que encontramos na caminhada rumo ao objetivo de deixar de lado a vida homossexual.

Anônimo disse...

PARTE 2 DE 3

Nesse texto, por exemplo, li que às vezes nos vemos em situações ou atitudes pecaminosas e Deus ainda continua conosco. Fica muito claro pra mim o enorme amor d'Ele por nós. Mesmo machucando a Ele, nós somos perdoados e podemos segurar em suas mãos para levantar e levar adiante nossa luta. Talvez algumas pessoas achem ridícula a comparação que vou fazer, mas podemos pensar na idéia do vício de fumar. Não fumo, mas entendo a dificuldade que deva ser para parar de fumar. E aí existem diversos casos. O caso daquele que parou de fumar mais facilmente, o caso daquele que parou de fumar depois de meses tentando parar e o caso daquele que parou depois de anos tentando. Isso tudo é bem claro a meu ver. Trata-se das pedras que vamos enfrentar na caminhada da vida. Algumas são pequenas e, de tão pequenas, simplesmente ignoramos. Outras são maiores e precisamos de passar por elas de alguma forma. E ainda há aquelas que são gigantescas. Leva-se mais tempo para solucioná-la, leva-se mais tempo para afastá-la do local que trás incômodo. De coração... o homossexualismo é uma pedra absurdamente gigante em minha vida. Vivi ativamente o homossexualismo por alguns anos da minha vida. Nunca fui uma pessoa promíscua mas, como diz no texto acima, eu sonhava que em algum lugar, em algum cantinho, alguém estava esperando por mim. Acreditava que alguém iria ser o meu companheiro pelo resto da vida para sermos felizes e lutar juntos. O que acho disso atualmente? Ilusão! Perdõem-me aqueles que tenham uma opinião contrária à minha. Atualmente estamos sendo oprimidos ao expôr nossas opiniões. Meu objetivo aqui está longe e não tem nada a ver com preconceito, até porque não há como eu ser preconceituoso comigo mesmo. O que há aqui é, na realidade, um desabafo, uma afirmação de que, pra mim, estes anos de vida homossexual só trouxe sofrimento. Das vezes que me envolvi homossexualmente, não me recordo de nenhuma que tenha havido alegria e felicidade ao lembrar daquilo que vivi ou pratiquei. E então eu acho importante comentar também que me parece atualmente que é impossível que a Bíblia esteja incorreta. Aquele que cumpre as orientações da Bíblia, por acaso se mostra arrependido? Não conheço nenhum! Lá são pregados o amor e as boas ações. Como isso traria problemas à vida de alguém? Não sou nenhum religioso fanático, gosto de ponderar as coisas, mas, ao que me parece, na Bíblia tudo está alinhadíssimo com a verdade. Então, por tudo isso que já falei, acredito que valha muito a pena tentar sair da homossexualidade mesmo com as pedras que surgirão, sejam elas pequenas ou gigantescas. Se você não está feliz nessa situação, tente mudar. Faça de sua vida, uma vida com Deus e Jesus Cristo. Podemos pedir a iluminação do Espírito Santo para facilitar nossa caminhada. Com certeza Deus estará disponível para ajudar a você e ajudar a mim também. Sempre!

Anônimo disse...

PARTE 3 DE 3

Quem quiser conversar sobre o assunto, por favor, me add no msn: parasermelhor@hotmail.com. Agora que esta luz se abriu na minha frente, quero poder receber ajuda de mais pessoas e também ajudar outras. Não sei como lidar com a maioria das situações, estou aprendendo ainda. Mas, no mínimo, pode ter certeza que darei todo apoio e estímulo se você quiser deixar o homossexualismo.
E para não ficar um texto mais longo do que já está, quero agradecer de coração ao Isaque que ficou por horas conversando comigo no MSN. Me ajudou de uma forma absurdamente grande. Cara, você não tem noção do quanto foi importante essa conversa pra mim! Foi uma conversa muito honesta, sincera, respeitosa e firme. Que Deus o abençõe sempre! Também agradeço ao Lucas pela iniciativa do blog. Se não me engano, a iniciativa foi dele. Aqui foi onde a minha leve vontade de sair do homossexualismo cresceu muito em vontade, força e fé.

Deus esteja sempre com cada um de vocês!

MSN: parasermelhor@hotmail.com
Obs.: querendo adicionar, fique a vontade. A regra para manutenção do contato é manter o respeito à minha vontade de deixar o homossexualismo.

Muito obrigado ao nosso Deus!

Anônimo disse...

concordo com vc ! estou nessa luta tambem tenho 29 anos !

Anônimo disse...

Como é difícil deixar de ser gay, principalmente porque vicia e ao mmesmo tempo é sedutor, inebriante, prazeroso e proibido! A Psicologia certamente explica 'a preferência ou condicionamento' do cérebro humano pelas coisas proibidas, escondidas, enfim desconhecidas. No entanto, creio que um dia serei liberto deste estigma maldito, meu próprio pai me amaldiçoava quando eu era criança e quando raivoso devido a alguma traquinagem minha sempre me chamava de bichinha e com o tempo tais características foram se acentuando, minha voz era 'de menina', meus tregeitos afeminados, bem como meu ódio por meu pai. Apesar do ódio paternal que eu sentia, buscava em outros homens o pai presente-ausente que eu tinha, digo isto porque apesar de sua constante presença em minha vida, tais momentos foram SEMPRE de desagrado, reprimendas, sensuras etc. Hoje ainda não consegui o perdoar pelo que me tornei, mas ao mesmo tempo queria que NADA disso tivesse acontecido, no fundo eu ainda o amo como pai e entendo um pouco suas próprias frustrações diante da vida e dos acontecimento alheios a sua intervenção. Mas não possuo uma figura paterna máscula em quem me espelhar, quando vejo um pai cuidar bem de seu filhinho, abraçando-o, beijando-o, enfim afagando-o em seu colo, desejo ser eu naqueles braços fortes, naquele olhar amoroso e voz viril, confiante e é aí que afloram os desejos homossexuais, os simples anseios do 'adulto que ainda não cresceu' se transformam em lascívias ardentes, sufocantes e tresloucadas muitas vezes.
Mas tudo isso cansa, já pensei sim em me suicidar, pois os relacionamentos fortuitos que tenho NUNCA conseguem preencher esse vazio do meu ser ainda em construção psicológica, por que meu Deus tudo isso acontece comigo? Será que sou pior que todo mundo? Alguns homens me cortejam e logicamente isso me deixa envaidecido, pois modéstia parte sou boa pinta e me cuido ao extremo, mas o melhor de tudo é que me sinto sujo, indigno, envergonhado, ferido de morte logo após um envolvimento homossexual.
Me ajudem por favor, pois da última vez que saí com um homem, tentei assassiná-lo e em seguida me mataria, não é fazendo melodrama, mas além de minha condição conflituosa, carrego comiga ALGO que não consigo explicar o que é, mas sempre me leva a pensamentos e atos para minha destruição, ou seja ser gay, refletindo racionalmente, é, sem sombra de dúvida, estar contaminado por algum tipo de peste.

Anônimo disse...

Me sinto diferente desde algum tempo, mais com certeza creio que fui influenciada desde muito cedo, e só agora na fase adulta houve a expressão, ou melhor a atração. Os pais devem ter muito cuidado no momento de passar seus valores aos filhos, saber quem são os amigos dos filhos , quem frequenta á casa. Essa formação psico-social não é uma tarefa fácil nem para os pais que estão dentro da igreja, Imagine para os que não estão, estes é que devem tomar mais cuidado ainda, pois mesmo sem perceber aceitam coisas muito ruins e destrutivas entrar no seu lar. Afetando diretamente seus filhos.

Anônimo disse...

Ola td bem espero que me ajudem tenho 37 anos e desde criança me relaciono com meninos e quando tinha 16 anos aconteceu um fato em minha vida que me decepcionou muito tinha saído de casa com amigos para festejar o ano novo e a gente bebia e quando eu bebia sempre tinha vontade de transar com homem e foi ai que aconteceu com um cara bem mais velho que eu a gente transou e pencei que isto ia ficar entre a gente mas sempre que ele bebia ele contava o que aconteceu entre a gente para todos porque ele foi ativo e eu passivo ai fiquei até com medo de sair de casa sempre as pessoas me suavam e com o passar do tempo fui me acostumando levando na gozação ai foi que fiquei cismado até em chegar nas mulheres sempre com vergonha de elas saberem disso e do meu tempo de adolescente sempre tive minhas namoradas na verdade curto homem e mulher e quero que me ajudem por favor eu quero uma família filhos uma esposa não quero ser gay com com receio de cantar as mulheres acho que ta ai o problema e atualmente tenho vontade de fazer sexo e faço sempre com homem e não é isto que quero pra mim me ajudem?

meu e-mail é manezim37@hotmail.com (obrigado)

Kiko Cardoso disse...

Ola tenho 28 anos e desde criança sinto atração pelo o mesmo sexo. Mas só com 20 anos tive a prática fiquei dos 20 a 22 no homossexualismo . tive um encontro com Deus estava quase vencendo mas não vigiei e cai sei q fiquei quatro anos buscando dos 23 as 27 .quando cai pensava q nunca mas teria uma outra chance não cria mas no evangelho mas Deus é fiel agora depois de dois anos no pecado sofrendo sendo escravo do diabo Deus me alcançou com a sua forte mão,estou me sentido livre pela a glória do senhor e diz q é Deus do impossível ou ele é mentiroso ? Não e não ele não mente ele é o Deus da vdd ,o pai da mentira é o diabo no tempo do senhor ele vai muda sua historia ámem...

Anônimo disse...

Glória a Deus! Tenho passado por essa luta e essa matéria foi como um bálsamo pra mim! O que importa é a identidade sólida em Cristo, para que, com o tempo, as práticas gays sejam deixadas naturalmente.

Chrys disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Parabéns pelo iniciativa !
Que Deus possa ajudar todos vcs nessa luta !
Que vcs sempre tenham em mente Cristo ama vcs e os compreendem, continue lutando pq vcs terão vitórias .
Me ajudou muito os textos que eu ja li .
Meu namorado sofre muito com a questão de ter atração por homem, ele vem lutando à anos contra esses sentimentos mas até agora nada , mas hj puder entender que ele vem lutando de forma errada, nesse momento ele desistiu de lutar contra isso é diz que é bissexual.enfim tem sido muito dificil.
Mas tenho orado a Deus e me fortalecido para ajuda-lo e tenho mostrado sempre o meu amor por ele, mas notei que despois que ele desistiu de Deus ele tem tidos várias crises, até mesmo preferido a morte, o que eu quero deixar para todos aqui é vale a pena caminhar mais uma milha e nunca desistir de Deus, pq queridos por experiência que tenho tido e muito difícil essa luta sem Deus, não se culpem por esses sentimento pq Deus ele não culpa vcs, ele sempre está com os braços abertos para consolar vcs e carregar-Los no calo como um Pai amoroso. Quando vier pensamentos que não vale a pena caminhar com Cristo, não acreditam nessa voz e declaram sobre a vida de vcs que vc vão cumpri cumpri os propósitos de Deus e que vcs são mais que vencedores em Cristo Jesus .
Muito obrigada a todos que compartilharam suas Historias aqui muito me ajudou ...
Declaro sobre a vidas de vcs que essa batalha ja foi ganha e vcs se levantaram para transformar outras vidas .
Cristo ama vcs ! ��